Skip directly to content

Dicas para trocar dinheiro em Buenos Aires

Informações sobre câmbio e cotação de moedas estrangeiras

Atualmente no país vizinho, o dólar e as moedas estrangeiras possuem um lugar preponderante no dia a dia dos argentinos. A instabilidade dos últimos anos gerou uma situação de existirem dois tipos de câmbio, o DÓLAR OFICIAL e o CÂMBIO PARALELO.

O DÓLAR OFICIAL é a cotação do Banco Central da República Argentina, utilizado pelos bancos e casas de câmbio. Lembrando que para realizar a operação financeira é necessário apresentar o documento oficial e o registro de entrada ao país.

Já o CAMBIO PARALELO é considerado ilegal e frequentemente oferecido nas ruas portenhas, principalmente nos calçadões Florida e Lavalle. É normal passar por pessoas que ficam oferecendo (gritando) troca de Dólar, Real, Euro no cambio paralelo. Os valores normalmente são mais vantajosos que o câmbio oficial, porém existe um risco grande na “operação” desde bilhetes falsos até assaltos. Atualmente a diferença de cotação não é considerável, motivo pelo qual não compensa optar pelo câmbio paralelo, diferentemente de alguns anos atrás.

Nos aeroportos encontramos agências do Banco Nación e no micro centro portenho existem diversas casas de câmbios e bancos onde é possível fazer a troca da moeda, no subsolo das Galerias Pacifico encontramos uma casa de câmbio que funciona sempre nos mesmos horários do shopping (mesmo aos sábados, domingos e feriados) e na Calle Florida tem outra que também segue o horário comercial e não o horário bancário. Lembrando que é indispensável a apresentação do passaporte com o carimbo de entrada ou a carteira de identidade com o “papel da imigração”.

Outra pergunta frequente é quanto trocar, o recomendável é trocar aos poucos e sempre levar um pouco de dólar e, também de reais, além dos pesos argentinos, pois alguns restaurantes, hotéis, shoppings, bares, possuem a particularidade de melhor câmbio se pagar com dólares ou reais à vista.

É importante destacar que notas de dólar de 50 ou 100, possuem um valor de câmbio melhor do que notas menores (20, 10 ou 5).

Estamos acostumados no Brasil onde em quase todo lugar tem maquininha de cartão. Já na Argentina, muitos locais não aceitam cartões de crédito ou débito, por isso é importante sempre ter dinheiro em espécie.

E se sobrarem pesos ao final da viagem? Depende, se for muito (trocando aos poucos evita-se esta situação) é recomendável trocar em casas de câmbio ou bancos. Nesse caso será necessário apresentar o comprovante de venda dos dólares no país (o recibo que você receberá na operação para pegar os pesos argentinos). Já se a quantia for pequena ou não quer passar por essa situação, aproveite para trazer lembrancinhas, vinhos e doce de leite!

Acompanhe as cotações clique aqui